Meus Poemas 66.

COM O CORAÇÃO SE AMA.

Amar com o coração, mui contente,
Combater sempre batalha justa,
Aquele que segue a Palavra fielmente,
O inimigo muito feroz, o não assusta.

Amar é a palavra doce da razão,
Sem ela não será justo o combate,
Se dizes que estás dentro da salvação,
Vê no mundo quem precisa de resgate.

Empunha a espada guerreiro destemido,
Acredita na Palavra que tudo te faz vencer,
Tu és de Deus,homem forte redimido,
Com vitória certa,de apenas só crer.

Deves confiar com fé pura e vibrante,
Como a luz alegre da madrugada,
Enche o coração dessa força triunfante,
Dos que estão à esperada luz imaculada.
Por: António Jesus Batalha.

Meus Poemas 66.

A JANELA.

Na força humana,
também experimentei,
mas com meu ser frágil
nada produzi.
Olhando então para os céus,
do sábio Daniel me lembrei,
e a minha janela eu abri.
A minha força eu deixei.
Para Sentir Divino sopro brando,
Do Espírito Santo de Deus.
Por: António Jesus Batalha.

Meus Poemas 66.

A ALMA.

Quando nossa alma nesta vida passa,
Como peregrina vagueando neste mundo,
Sem o Amor de Deus, tudo ela abraça,
Nos prazeres da vida, amor vagabundo.

Como um regato de água mansa e fina,
Quanta tristeza, lágrimas derramadas,
Para todo o charco a alma se inclina,
À fonte divina, são todas chamadas.

Desejo, ilusão, sobrepõe-se à vida,
Como a meia noite em densa treva,
Vagueia sem rumo, anda perdida.

Deus é Senhor sobre toda a criação,
Mudar todo o rumo da vida que leva,
Sacudir do manto sujo, toda a ilusão.
Por:António Jesus Batalha.

A Verdade Em Poesia, António Batalha, Bíblia Sagrada, Ciência, Desporto,Meus Poemas, Deus,Jesus Cristo,

Advertisements