Meus Poemas-29.

Meus Poemas-29

SOLITÁRIO.

Vagueia o homem na multidão,
Sem distinguir a Santa Claridade,
Que o pode transportar à liberdade,
Libertando-o da sua dura prisão.

É cativo que suspira, e vai como o vento,
Vivendo sempre sua vida inquieto,
Parece que em sua vida oculta algo secreto,
Triste amargurado cheio de tormento.

Vos anúncio que a Luz Sagrada,
Suplicando de coração Ela responde,
Como o sol que passa, não se esconde,
Mas trás para ti a paz nesta jornada.

Ao passares pelo vale das incertezas,
Consolação para ti sempre haverá,
Sua graça e protecção jamais acabará,
Lançará para bem longe todas as tristezas.
Por: António Jesus Batalha.

CONSTRUIR.

Ao construir um castelo que me caiu,
Com toda a força eu edificava,
Clamei à Vida o que ela me dava,
Dava-me Verdade e não me mentiu.

Era como a luz do sol que despertava,
O clarão que em meu ser refulgiu,
Diferente da luz que de mim fugiu,
Luz Real que ao longe deslumbrava.

Passei nessa vida crer amar e esquecer,
Atrás dum sol de um dia e outro a aquecer,
Para ter uma alegria de vez enquanto.

O amor que de mim ia fugindo,
Inferior ao outro amor que vai surgindo,
Caminho agora, p’lo qual eu ando.
Por: António Jesus Batalha.

Meus Poemas-29

BARCO PERDIDO.

Barco à deriva no imenso mar,
Sem ter noção do caminho que vai,
Denso nevoeiro que sobre ele cai,
Barco à deriva sem nunca chegar.

Velas rasgadas o leme partido,
Sem alimento no seu porão,
Horas passadas em escuridão,
Barco à deriva sem único sentido.

Sem controlo,o barco à deriva,
Velas rasgadas com muita batida,
Entre desânimo e grande gemido.

A imaginação de caminho perto.
Sem orientação pensa que está certo,
Vela rasgada barco perdido.
Por: António Jesus Batalha.

A VERDADE.

A verdade em tua vida,
Só tem valor;
Se com verdade for vivida,
Se for vivida com amor.

A verdade tem poder,
Poder para te libertar,
Se não andares na verdade,
Ela pode te condenar.

A verdade de que falo,
Nunca faz divisão,
Entre o rico e o pobre,
A todos dá protecção.

Para andares na verdade,
Uma coisa deves saber,
Deves com humildade,
A salvação receber.

Há muitos que já o fizeram,
E pensam que está garantida,
Na verdade não quiseram,
Andar nela toda a vida.

Não basta viver um dia,
Um mês ou até um ano,
Se alguém pensa que basta,
Vive apenas num engano.

A verdade em tua vida,
Só tem valor,
Se com verdade for vivida,
Se for vivida com amor.
Por: António Jesus Batalha.

Meus Poemas-29

DADOR.

Oh dador Supremo,
dos bens da humanidade,
Concede-me, na Tua graça,
Ouvidos que percebam a música,
inefável dos mundos invisíveis,
Lábios mais puros,
para Teu louvor cantar,
irresistíveis.
Pensamentos mais perfeitos,
Envoltos em Ti Senhor,
Atingindo a nobreza e a altitude,
Da inabalável convicção do Teu amor.
Por: António Jesus Batalha.

A Verdade Em Poesia, António Batalha, Bíblia Sagrada, Ciência, Desporto, Deus,Jesus Cristo,

Anúncios

Sobre Antonio Jesus Batalha

Um Peregrino..
Esta entrada foi publicada em Meus Poemas-29., Poemas com as etiquetas , , , , , , . ligação permanente.

Uma resposta a Meus Poemas-29.

  1. Belas poesias li algumas e não tinha vontade de parar o amigo irmão é um homem que Deus tem usado, vou seguir o seu blog, mas também irei ver o outro.Abraço.

    Gostar

Obrigado e volte sempre.

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s