Meus Poemas-15.

0

TER FÉ.

Ter fé, sentir grande gozo,
Que se eleva ao céu, num descer constante,
Respirar, fruir alegria anelante,
No grande Amor do Todo Poderoso.

Ver através dum raio luminoso,
A pureza de uma paz radiante,
Elevar em oração à Pátria distante,
Contemplar as ruas, desejo ansioso.

Crer na cruz sem imagem feita,
Por mãos humanas, falar com Deus,
Não há honra maior e mais perfeita.

Ter fé no amor, que maravilha,
Contemplar da terra o céu,
Graça derramada, alma que brilha.
Por: António Jesus Batalha.

DESPERTA-ME.

Desperta-me de noite
ao teu desejo,
Com a força dos teus dedos
Com que me vergas,
No sono em que me deito
Tu me guardas.

Toma-me não pela força
como que sendo,
Barro em tuas mãos,
E molda-me, Senhor,
ao teu desejar.

Nos teus ombros me leva
docemente,
A obra imperfeita
Tu desfazes,
Teus dedos a pedra Tu sentes,
numa obra perfeita Tu fazes.
Por: António Jesus Batalha.

0

CAMINHO.
No caminho estreito que sigo,
Não há cruzamento para o alvo,
Em sonhos e guerra com inimigo,
Deus me guarda, me mantém salvo.

Sou caminhante bem descuidado,
Dos perigos que caminho encerra,
Num leve descuido fico atolado,
Passa o inverno, vem primavera.

Deus me liberta, não me queixo,
Falta minha, e meu desleixo,
É de confessar que sou culpado.

Sigo caminho, há novo dia,
Reina em mim a paz e harmonia,
Sigo alegre, e muito animado.
Por: António Jesus Batalha.

TRAZ PRA MIM.

Traz pra mim Tua graça,
Nos tempos que anoitece,
Que meu corpo como um rio,
Num completo desafio,
Confiante sereno quando desce.

Meu viver seja como quem passa,
Sem olhar para trás e parar,
Que largos sejam meus passos,
Bem alto erguendo os braços,
Quando Te servir e adorar.

A vida em mim,e Tua graça,
Me faz sorrir pela mudança,
Vou segui sempre o caminho,
No meu peito o Teu carinho,
No coração vida e esperança
Por: António Jesus Batalha.

0

A MINHA ALMA É TEU JARDIM.

Quão belo devo ter o meu jardim,
Dádiva seu igual que o Pai me deu,
E por amor do qual Jesus morreu,
Então há um dever em mim.

Regá-lo com a minha oração,
Abri-lo à luz do sol da gratidão,
Deixá-lo cresces com flor viçosa,
Com verdura viva e majestosa.

Da fé, que tudo sara e tudo aquece,
E os frutos que embeleza e enobrece,
E assim, abrindo rosas no deserto,
Seguindo seguro por caminho certo.

Apregoarei da Graça Redentora,
A Beleza perfeita e duradoura,
Que é reflexo e espelho para mim,
Quão belo devo ter o meu jardim.

Imagem Sua, e Sua formosura,
És pelo sangue, ó alma branca e pura,
Escuta Sua lei, e Seus ensinos, para mim,
Quão belo devo ter o meu jardim.

Amá-lo e obedecer, eis o dever,
De quem quiser tornar-se um puro ser,
E quando, enfim chegar ao teu portal,
Recebe-o Senhor, Único ser Imortal.

Para dizer-lhe com poder: Senhor,
Lavado estou na Luz do Teu Amor,
Que é reflexo e espelho para mim
Quão puro devo ter o meu jardim.
Por: António Jesus Batalha.


A Verdade Em Poesia, António Batalha, Bíblia Sagrada, Ciência, Desporto, Deus,Jesus Cristo,

Advertisements

Sobre Antonio Ja.Batalha

Um Peregrino..
Esta entrada foi publicada em Poemas com as etiquetas , , , , , , , . ligação permanente.

Obrigado e volte sempre.

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s