MEUS POEMAS-74

silencio

SILÊNCIO.

Sopra silêncio indecifrável,
Em sonhos longos misteriosos,
Carregados de segredos dolorosos,
Num viver doído inconsolável.

Levantam-se cativos dos problemas,
Que não acabam mas atraem,
Se incutidos na alma não saem,
Busca saída, nas intenções supremas.

Sem esperança na amplidão sagrada,
Neste mundo as soluções se escondem,
Gritam aos astros, mas não respondem,
Fazem promessas e votos, mais nada.

Podes amigo ter um novo destino,
Onde o Eterno nunca te condena,
Mas dar-te  amor, alegria paz serena,
E levar-te um dia ao abrigo Divino.
Por: António Jesus Batalha.

teu amor

TEU AMOR.

O Teu amor glorioso se assemelha,
À chama do grande fogo ardente,
Reflete em mim Teu brilho ingente,
Como o sol no grande mar se espelha.

A cada momento teu grande amor jorra,
Para o mundo entender o que encerra,
O sacrifício de Jesus aqui na terra,
Para que todo o que crer não morra.

Enches de alegria a minha taça,
Como o azul do oceano largo e profundo,
Afim de ser uma luz viva neste mundo,
Libertar alguém da tristeza e desgraça.
Por: António Jesus Batalha.

A VISÃO

A VISÃO.

A visão te fugiu,vida no mundo perdida,
Buscas em vão a paz, neste ermo solitário,
Tens a tua razão vazia, num cruel fadário,
Num viver triste, de fronte ao chão pendida.

Porque deixas-te o amor mais forte da vida,
Que Jesus Cristo ganhou por ti no Calvário,
Para que nunca mais vivas triste e solitário,
E numa situação de imobilidade indefinida.

Vem para o grande e eterno amor de Justiça,
De coração arrependido levanta uma prece,
Volta a dar tua vida, e à Palavra obedece,
Para uma caminhada humilde e submissa.
Por: António Jesus Batalha.


A Verdade Em Poesia, António Batalha, Bíblia Sagrada, Ciência, Desporto,Meus Poemas,Deus,Jesus Cristo,

Publicado em Meus Poemas-74 | Etiquetas , , , , , , , | 1 Comentário